Análises Editorial

Análise: Adachi to Shimamura

©Tezuka Productions/Iruma Hitoma/Ousaka Nozomi

Yagate Kimi ni Naru deu o primeiro passo para desvincular a ideia de que romances yuri precisam ser voltados para fetiches e cenas de beijos.

Adachi to Shimamura vem como um herdeiro desse trabalho, trazendo mais uma ótima história que não precisa se apegar a clichês e fã services para mostrar que o gênero é tão interessante quanto qualquer outro por aí.

Sinopse

A história acompanha Adachi e Shimamura, duas garotas que se conheceram ao acaso enquanto matavam aula na parte de cima da quadra de esportes.

Através desse inesperado encontro, as duas acabam formando uma amizade, que aos poucos vai tomando outros rumos, fazendo com que Adachi comece a enxergar Shimamura como alguém bem mais importante do que uma amiga.

Devagar e sempre

Um coisa bem importante que é necessário saber sobre Adachi to Shimamura, é que a obra segue o seu próprio tempo.

Para um romance, tenho que ser justo e dizer que o anime é bem lento, quase parando. A relação entre as duas personagens é bem desenvolvida, mas no ponto de vista de um casal, pouca coisa acontece.

Isso não evita que você se emocione, faça o bom e velho “ship”, ou deseje ver as duas juntas, entretanto, se você espera ver um casal formado, ou, pelo menos, algo perto disso, então a obra vai acabar deixando a desejar.

Os problemas do coração

Mas se a formação do casal pode deixar um pouco a desejar no final, por outro lado, o anime consegue trabalhar muito bem a ideia de amor.

O romance entre as duas garotas é algo que acontece de forma indireta. Você tem a Adachi que está apaixonada, mas a Shimamura não percebe isso (ou pelo menos finge não perceber).

Isso abre espaço para que as coisas sejam mais platônicas, ou, para certas pessoas, até nostálgica. É como relembrar os tempos dos primeiros amores, com toda aquela insegurança, medo, paranoias e constante busca de encontrar a pessoa nos mais diferentes locais.

Os delírios da Adachi passam bem a sensação de que ela está vivendo algo novo, e que aquele mundo de sentimentos é algo que ela nunca experimentou antes.

Pode parecer bobo, e até romântico demais, porém, na prática, é um mecanismo da história que conseguiu me cativar bastante, fazendo-me sempre feliz quando a personagem criava coragem para tomar as menores ações possíveis, como, simplesmente, convidar a Shimamura para fazer algo juntas.

Dilemas nossos de cada dia

Uma característica bem marcante em Adachi to Shimamura, que eu particularmente gostei bastante, foi a forma como o desenvolvimento das garotas às vezes é mostrado.

Muita coisa acontece através dos seus pensamentos, fazendo aqueles monólogos introspectivos sobre como elas enxergam a outra, e, até mesmo, como encaram certos problemas da vida.

Como uma pessoa que adora essas vibes mais filosóficas, ver a Shimamura se questionando sobre a relação com a Adachi, e a própria Adachi mergulhada em pensamentos a todo o instante, acabou sendo bem gratificante.

Uma coisa que talvez pudesse ter sido melhor aproveitada nisso, seria chegar em alguns pontos finais nesses pensamentos.

É muito legal ver que a relação das duas não é apenas de paixão/amizade. Que existe um fundo mais “sombrio” nas ações de cada uma, que, de certa forma, envolve satisfazer algumas carências pessoais.

Porém, como falei, senti falta de um ponto final nisso, para ficar mais claro se as garotas ainda estão se aproveitando da relação inusitada que criaram.

Vivendo em outro mundo

Por mais que toda a relação com as garotas seja bem interessante de acompanhar, e acabe mostrado que romance vai muito além de apenas sair beijando qualquer um que te interessa, o anime tem algo que me deixou bem… confuso? Talvez.

Existe uma personagem totalmente desconexa na história. Ela até ajuda a Shimamura a tomar certas atitudes e pensar em algumas coisas, mas, no geral, a presença dela ali destoa demais.

Além de adicionar um fator sobrenatural na história que não havia necessidade, no final de tudo, você não entende o porquê dela estar ali.

Não há uma explicação para o seu motivo de visitar a Terra, se ela é mesma uma alienígena ou coisa do tipo (que ela tem poderes, isso ficou claro). Além disso, a existência dela poderia ter sido muito bem deixada de lado, que a história continuaria funcionando.

Minha única suposição é que deve ser um personagem relevante para o futuro da história, e que por questões de tempo, não teve como ser trabalhada.

Mas ainda assim, é muito estranho ver toda aquela história de alienígena, garota flutuando e demais coisas que a presença dela traz para o anime.

Considerações finais

Em resumo, Adachi to Shimamura é um anime que mesmo deixando um pouco a desejar na parte técnica, ainda consegue entregar uma experiência bem interessante.

Os estereótipos e yuris não são usados, o que faz com que a história tenha um bom conteúdo, desenvolvendo as garotas e a forma como cada uma vê a relação em que estão.

Para quem gosta de um bom romance com lados mais dramáticos, a obra tem potencial para ser uma agradável surpresa.

Leia mais análises feitas pela nossa equipe.
Acesse o site dos nossos parceiros do Blog LD para as notícias mais recentes.

Posts relacionados

Kaiju No.8: a grande promessa da JUMP

Marcelo Almeida

Construção de Mundo: a importância para criação de um bom anime

Bruno Valentim

Spy x Family: conheça mais sobre Yor Forger

Marcelo Almeida
error: O conteúdo está protegido !!