Análises Editorial

Análise: Horimiya

Horimiya se tornou um grande sucesso na temporada de inverno de 2021, sendo sem dúvidas o romance mais famoso da temporada por trazer um roteiro interessante. E é exatamente sobre esse roteiro que irei me aprofundar hoje, onde irei analisá-lo e contar meus pontos positivos e negativos.

Quebrando clichês?
©CloverWorks/Daisuke Hagiwara/HERO

Ao procurar um pouco sobre a obra, notei muitos produtores de conteúdo relatando que tal quebra alguns padrões e clichês que são muito recorrentes em animes do mesmo gênero, entretanto, precisamos pensar se essa quebra de clichês, realmente, foi benéfica para o desenvolvimento da trama.

Falando do casal principal, no início, achei muito interessante a forma que o anime estava levando o romance, com pequenas interações entre os personagens que, aos poucos, foram se aprofundando e assim se conhecendo. Entretanto, ao meu ver, creio que faltou um pouco mais de profundidade nessa relação, mas felizmente ambos são muito carismáticos e essa “falta de desenvolvimento” ficou pouco perceptível.

©CloverWorks/Daisuke Hagiwara/HERO | “O Miyamura é nosso! ~”

Como citado anteriormente, o romance dos protagonistas, sem dúvidas, é o melhor desenvolvido. Possui mais tempo de tela no início e aos poucos vai perdendo sua importância, dando espaço para os demais romances protagonizados pelos personagens coadjuvantes. Esses que, por sua vez, conseguem ser tão interessantes e divertidos quanto os principais.

Muitos dos personagens de Horimiya possuem uma personalidade forte e por causa dela que esses personagens em algumas cenas optam por tomar decisões precipitadas, onde acabam ocasionando uma cena engraçada ou algo mais sério. Um ponto justificável devido a idade dos personagens, e que, ao meu ver, se tornou um fator positivo no início do enredo, todavia, senti que essa característica se perdeu com o tempo e cenas como essas tornaram-se mais raras.

Sobre o drama
©CloverWorks/Daisuke Hagiwara/HERO

Sim, o anime em si não é classificado como um drama, entretanto, conforme o enredo se desenvolve e os personagens se tornam mais familiares para quem esta assistindo, a obra começa a colocar pequenas conflitos envolvendo determinados personagens. Conflitos que, por sua vez, são problemas recorrentes em um publico infanto-juvenil, proporcionando uma facilidade grande de comoção com esse publico em especifico por abordar temas que eles estão vivenciando ou já vivenciaram.

O drama não é o foco principal da obra, mas merece destaque, já que serviu como ponte para os acontecimentos seguintes e para as possíveis resoluções que foram introduzidas e iniciadas após alguns episódios, onde determinados personagens estavam desenvolvendo seu drama. Esses que são em sua maioria problemas comuns, como o fato de se apaixonar por alguém e não ser correspondido ou até mesmo falhar em algo que você lutou muito para conseguir.

O que eu não gostei
©CloverWorks/Daisuke Hagiwara/HERO

De início achei o anime incrível. Seus primeiros episódios, nos quais vão desenvolvendo o romance apenas do casal principal, onde a trama quebra clichês e deixa algumas coisas mais suavizadas, sem dúvidas, me impressionaram e me fizeram ter gosto pela obra, entretanto, esse gosto foi diminuindo conforme o anime repetiu a mesma receita a cada nova trama.

Durante toda a obra, notamos que o enredo se baseia em vários casais e em como tais conseguiram se desenvolver até chegar ao almejado relacionamento — um fato elogiado por uns e criticado por outros, como é o meu caso. Não estou dizendo que esses romances secundários são ruins, muito pelo contrário, alguns são até melhores e tão bem construídos quanto o principal, porém, essa repetição constante de casais se conhecendo e se gostando começou a ficar desgastante após alguns episódios; o que afetou a minha experiência.

Sobre o final
©CloverWorks/Daisuke Hagiwara/HERO

Sim, eu estou ciente sobre a enorme “rushada” que deram na obra, na verdade, essa temporada foi campeã em relação a animes que mataram o material original, entretanto, Horimiya eu não li o mangá e toda minha análise aqui está sendo feita com base na minha experiência assistindo a adaptação, sendo assim, irei comentar o que achei do episódio final e se os 59 capítulos excluídos do mangá fizeram falta.

Esse episódio foi basicamente uma retrospectiva do que já tínhamos visto antes, ambientado em um contexto simples e previsível que já foi citado anteriormente na obra, sendo basicamente a formatura dos personagens.

O enredo tenta se fechar e resolver os “mini-arcos” dos casais que foi estabelecido durante os episódios passados, todavia, ainda fica um pouco em aberto e podemos sentir que está faltando bastante conteúdo em relação aos personagens coadjuvantes.

O casal principal voltou a ter um foco grande nesse fim de temporada, onde basicamente tudo girou em torno do Miyamura relembrando o passado com algumas reflexões pessoais. Algo que já tínhamos presenciado anteriormente, e que, nesse encerramento, ficou meio chato e sem graça ao meu ver, pois para fazer um flashback impactante, algo que terá a função de cativar o telespectador emocionalmente, um tempo maior de tela e preparação para conseguir tal feito serão exigidos, fato que infelizmente não aconteceu.

Novamente ressalvo que ainda não li o material original e provavelmente esse final foi muito mais interessante no mangá, já que tal foi muito bem recomendado e elogiado, porém, essa acelerada no enredo realmente comprometeu o final do anime. Esse que não é ruim, porém, em minha opinião, detinha um potencial imenso, mas infelizmente se perdeu ao tentarem terminar o anime junto com o mangá.

Em linhas gerais
©CloverWorks/Daisuke Hagiwara/HERO | “Claro, Yoshikawa ~”

Falando como um todo, Horimiya é um ótimo romance, possuindo um roteiro simples, mas cheio de vida graças aos seus personagens cativantes. É uma obra mais leve, não se baseando unicamente em drama e nem mesmo em um romance exageradamente forçado tal qual deixaria o telespectador enjoado com o tempo. Contudo, possui repetição em sua fórmula de roteiro, o que para alguns é um grave problema, já para outros uma qualidade.

Por mais que eu tenha citado alguns pontos negativos sobre o anime, ele não deixa de ser uma bela obra, sendo aquele tipo de anime mais alto astral, que faz seus telespectadores se sentirem bem ao assisti-lo, e mesmo que possa parecer repetitivo algumas vezes, o enredo consegue entreter e cativar quem não é tão criterioso sobre isso.

Horimiya é, em minha opinião, uma ótima obra e obviamente uma recomendação para quem ainda não assistiu.

Horimiya está disponível pelo serviço de streaming Funimation.
Leia mais análises.
Visite os nossos parceiros! Nerd Sem ÓculosAnimeverso e Blog LD.

O que significa Horimiya?

É mais simples do que parece. Hori vem do nome da Hori-san e Miya vem do Miyamura-kun.

Quantos EPS tem o anime Horimiya?

O anime contou com 13 episódios.

Qual é a história de Horimiya?

Embora admirada na escola por sua bondade e habilidade acadêmica, a estudante Kyouko Hori esconde outro lado dela. Com os pais muitas vezes longe de casa devido ao trabalho, Hori tem que cuidar do irmão mais novo e fazer as tarefas domésticas, sem ter tempo para socializar fora da escola.

Quando lança o filme de Horimiya?

O filme Live-Action de Horimiya já marcou a sua estreia no Japão em 5 de fevereiro de 2021.

Posts relacionados

Love is an Illusion: conheça um pouco sobre a obra

Ingrid Raisa

Anicafé indica: Shūmatsu no Valkyrie

Matheus Boruto

Kimetsu no Yaiba: um pouco sobre a Respiração do Sol

Ingrid Raisa
error: O conteúdo está protegido !!