Editorial Recomendações

Anicafé indica: Genshin Impact

©miHoYo

Se você tem o mínimo de interesse em jogos ou animes, com toda certeza deve ter ouvido falar de Genshin Impact nesses últimos meses.

O jogo foi lançado no final de setembro, e de lá para cá vem ganhando cada vez mais jogadores. Não só por oferecer uma experiência divertida, como também por entregar gráficos de tirar o fôlego.

Sendo assim, se você ainda está na dúvida se vale ou não a pena jogar, vamos dar uma leve explorada no mundo de Teyvat e descobrir o que esse jogo tem a oferecer.

Explorando um mundo incrível

Uma das primeiras coisas que certamente vai te deixar encantado com Genshin Impact é a exploração do mundo. O jogo realmente não economiza recursos nesse ponto, entregando cenários deslumbrantes, paisagens incríveis e muitas coisas para se fazer.

Você pode, por exemplo, explorar pequenas ilhas, subir montanhas, encontrar tesouros, desafiar inimigos e completar missões. Tudo isso em um mundo totalmente aberto e vivo, com cidades, vilas e NPCs espalhados para todos os cantos, sempre prontos para te entregar alguma coisa, mesmo que seja algo pequeno.

Se você gosta de gastar horas olhando os mais diferentes pontos do mapa, Genshin Impact pode te garantir uma boa dose de diversão, sem sombra de dúvidas.

Elementos e suas reações

Outra coisa que me agradou bastante no jogo foi a tentativa de reinventar o uso dos elementos. A gente já está bem acostumado a aquele esquema elemental, onde água derrota fogo e por aí vai.

O jogo tenta inovar nisso ao trazer as chamadas reações elementais, o que, em poucas palavras, acarreta em ter que pensar melhor no que você quer fazer com o inimigo, e como os elementos vão poder te ajudar nisso.

Um exemplo simples é o famoso “congelar”. Enquanto na maioria dos jogos basta usar uma habilidade de gelo, aqui você precisa elaborar uma estratégia para que isso funcione, fazendo primeiro o inimigo ficar molhado — habilidades de água — para só então usar uma habilidade de gelo e o congelar.

Isso se expande para muitos outros casos, como o fogo evaporando ao entrar em contato com a água, a água conduzindo melhor a eletricidade, e o vento conseguindo espalhar os demais elementos pelo cenário.

Vale ressaltar que o uso dos elementos também se aplica a exploração. Você pode usar o gelo para atravessar pequenos lagos, habilidades de pedra para subir montanhas e interagir com mecanismos espalhados pelo mapa para ter acesso a baús e recompensas.

No fim das contas, com esses detalhes simples, o jogo consegue trazer uma variedade estratégica bem legal com o uso dos elementos e exploração do cenário.

História e mitologia própria

A história de Genshin Impact não é complexa. Tudo se resume em encontrar o irmão gêmeo do protagonista, e explorar um pouco mais do mundo de Teyvat.

Mesmo assim, a execução da história é divertida, e, justamente nessa simplicidade, consegue cativar e trazer momentos engraçados, principalmente com algumas criativas opções de diálogo.

Claro, dentre todas as características do jogo, a história talvez seja a com mais problemas, já que deixa nítido suas limitações. Mas, de forma geral, é bem competente ao que se propõem.

Outra coisa que gostei bastante foi a possibilidade de conhecer mais da mitologia do mundo do jogo através dos NPCs e cenários.

Quase tudo nesse jogo conta uma história, e você consegue sentir bem a diferença de culturas ao conversar com um NPCs de Mondstadt (região do vento) e Liyue (região de terra), já que cada um dos lugares foi doutrinado em uma filosofia diferente.

Em varias situações, o que parecia ser uma conversa genérica de rua, acabou me rendendo uma receita nova, ou itens que eram úteis para evoluir o personagem. Dessa forma, esse fator surpresa, aliado a oportunidade de conhecer mais de Teyvat, se mostra um diferencial bem legal para a obra.

Jogando com os amigos em qualquer lugar

Outro fator bem positivo sobre Genshin Impact é a oportunidade de poder se jogar com os amigos em  qualquer lugar. Seja no PS4, computador ou celular, o jogo conecta os jogadores em um mesmo servidor. Dessa forma, não há necessidade de se estar na mesma plataforma para jogarem juntos.

Entretanto, o PvP do jogo é bem simples, sendo algo mais focado no modo cooperativo. Nele, quatro jogadores podem se juntar para explorar o mapa ou para entrar em masmorras, a fim de derrotar o boss de forma mais fácil.

Você não pode ver outros jogadores andando pelo mapa que não seja os que você convidou, e as missões principais devem ser feitas sozinho. Ou seja, em essência, o jogo é uma experiência single player, mesmo que tenha a opção de se juntar a outros jogadores.

Progressão e sorte

Porém, nem tudo são flores. Há duas coisas no jogo que podem acabar se tornando um problema, e vale a pena levá-las em conta.

A primeira, que talvez tenha sido o que mais me incomodou, foi a progressão do jogo. No início é bem fácil subir o rank de aventureiro, mas com o passar do tempo isso começa a ficar cada vez mais difícil e complicado.

Sem subir o nível de rank de aventureiro, você não consegue acessar novos capítulos da história principal e mesmo algumas funções do jogo. O multiplayer, em especial, exige que você esteja no nível 16, o que leva um tempo considerável para conseguir.

Além disso, o jogo traz aquele sistema de gacha, onde é preciso gastar moedas, ou dinheiro de verdade, para tentar conseguir novos personagens.

As chances de tirar coisas de raridade alta são bem baixas, e levando em consideração o quão importante é o uso dos elementos dentro do jogo, ficar tendo azar com os escassos recursos que Genshin tem a oferecer em termos de moedas do gacha, pode ser um problema.

Os desenvolvedores até oferecem alguns personagens gratuitamente, mas eles não cobrem todos os pontos necessários e, naturalmente, você vai precisar de armas e personagens novos.

Se isso não acontece (porque você é azarado), vai acabar desanimando com o jogo e ficando frustrado pelas constantes decepções.

Considerações finais

Genshin Impact, sem sombra de dúvidas, é um jogo que merece atenção dos fãs de RPG e exploração. Com um mundo vasto e cheio de coisas para se fazer, o jogo consegue equilibrar ideias de diferentes gêneros e aplicá-las bem.

A possibilidade de se poder jogar em diferentes plataformas com uma mesma conta é um diferencial bacana, e que chama bastante atenção, já que permite, por exemplo, que jogadores do computador interajam com os de celular e PS4.

Claro, o jogo não é perfeito, mas certamente tem mais pontos positivos do que negativos, e pode acabar garantido horas de diversão.

Leia mais de nossas indicações.

Posts relacionados

Fate series: um pouco sobre Gilgamesh

Matheus Boruto

One Piece: o que faz da obra tão especial

Bruno Valentim
error: O conteúdo está protegido !!