Blog Editorial

Construção de Mundo: a importância para criação de um bom anime

©TYPE-MOON/Kinoko Nasu/Takashi Takeuchi

Em qualquer obra fictícia, o mundo e contexto no qual a narrativa se passa é muito importante. Seja na construção de um anime, mangá, filme ou série.

É sabendo sobre o mundo da obra que podemos entender o porquê dos personagens serem como são e entender de onde seus poderes vêm. Além disso, nos ajuda a ver a narrativa como “acreditável” enquanto a consumimos.

Hoje iremos comentar um pouco sobre como uma boa construção de mundo é feita, além de aproveitar para recomendar alguns títulos que são conhecidos pelos seus mundos atrativos e bem construídos.

Como é uma boa construção de mundo
©Tsukihime/Kinoko Nasu/Takashi Takeuchi

Saber o que é construção de mundo é simples: é toda informação e narrativa sobre o universo em que a obra se passa. É aqui que é desencolvida a sua estrutura, suas regras e suas civilizações.

Muitas obras se dedicam muito para que seu mundo pareça algo mais real, mais até do que seus personagens em alguns momentos.

Existem aquelas como Gundam ou Fate, franquias muito grandes com uma construção de mundo dividida entre suas obras para que quanto mais você consuma delas, mais você compreenda do universo.

Mas não é necessariamente uma regra que toda obra fantasiosa deva ter uma construção de mundo super complexa e detalhada, as vezes o interessante do mundo dela é outra coisa.

Por exemplo, Madoka Magica. O charme do mundo da obra é seu mistério, crueldade e abstracionismo, não sua complexidade.

Outras obras normalmente usam conhecimento prévio sobre o mundo real para construir o seu também, esperando que o espectador entenda como as coisas funcionam de antemão. Vemos isso principalmente em obras como Monogatari, obra em que os vampiros têm poucas explicações sobre si.

Agora sabendo disso, que tal recomendar algumas obras que trabalham muito bem seu mundo e fazem dele algo sensacional?

Obras com mundos incríveis
©Seven Arcs/Akiyuki Shinbou/Masashi Abe

Para começar, vamos com um dos mahou shoujo mais influentes de seu gênero, fazendo sucesso até hoje pela sua trama mais pesada e profunda, Mahou Shoujo Lyrical Nanoha.

Na história, acompanhamos a jovem Takamachi Nanoha que, após salvar um furão, descobre que ele é, na verdade, um mago de outro mundo chamado Yuuno. Agora, ela terá que ajudá-lo a capturar as Jewel Seeds, armas mágicas ultra perigosas, enquanto enfrenta sua mais nova rival, Fate Testarossa.

Por mais que Nanoha comece dando a impressão de ser um mahou shoujo comum, não demora muito para vermos o charme e profundida que seu enredo e universo possuem.

A cada temporada vamos vendo mais sobre os mundos alternativos e o trabalho da Administração de Tempo-Espaço para proteger as várias dimensões de perigos iminentes.

Todo o uso de magia junto de tecnologia é bem trabalhado e interessante, dando uma cara única ao anime.  Além disso, vemos a criatividade que tanto os perigos, quanto as dimensões paralelas possuem.

D.Gray Man
©Shounen Jump/Katsura Hoshino

Dessa vez, vamos falar de um dos mangás mais “underrated” da Jump, mas que consegue ser tão bom ou melhor que vários títulos populares, D.Gray Man.

A história gira em torno da Ordem Negra, uma organização dedicada a enfrentar o Conde do Milênio e seu exército de Akumas, monstros mecânicos que matam humanos para tentar causar o apocalipse.

Na obra, acompanhamos Allen Walker, um garoto que se junta a Ordem para enfrentar os Akuma, portador de um dos poderes especiais dos exorcistas: Innocence.

D.Gray Man não é muito comentado, mas sua qualidade não é pra ser esquecida, sendo bem diferente do padrão da Shounen Jump até hoje. O mundo da obra é muito interessante também, por mais que se passe em um mundo quase totalmente igual ao mundo real, a presença da Ordem Negra, os Akuma e o Conde do Milênio, tornam tudo diferente.

O charme gótico é sempre muito presente, quase com um ar macabro e sombrio; mesmo a Ordem Negra que são os heróis da história, possuem uma atmosfera diferente.

As Innocence, magias, função dos Akuma e o grupo dos Noah, fora as referências bíblicas, fazem o mundo de D.Gray Man impressionante, complexo e muito único.

Senki Zesshou Symphogear
©Satelight/Ito Tatsufumi

Para finalizarmos, vamos falar de um dos meus animes preferidos da vida, particularmente. Uma obra que tem muito a dizer com seu universo e personagens: Symphogear.

A história fala sobre um mundo assolado pela ameaça dos Noise, monstros psicodélicos que matam pessoas sem muita razão aparente. Para enfrentá-los, a organização SONG libera suas valquírias que usam as únicas armas capaz de detê-los: os Symphogears.

A série como um todo possui um universo muito interessante e bem explorado dentro de seu todo.

Cada Symphogear é uma relíquia histórica lendária real, sempre fazendo releituras as suas lendas, como com Gungnir e Durandal. Além disso, ideia dos Noise e de antigos visitantes a Terra também são coisas muito bem usadas, sempre fazendo as tramas das temporadas se intercalarem de forma natural.

Enfim, se você gosta de algo diferente e muito bem feito, certamente vai amar Symphogear também.

Veja mais recomendações

Visite os nossos parceiros! Nerd Sem Óculos, Animeverso e Blog LD

Posts relacionados

Arknights: saiba mais sobre a obra

Bruno Valentim

Kaguya-sama: o que fez o anime ser tão especial

Bruno Valentim
error: O conteúdo está protegido !!