Editorial Recomendações

Subgênero Isekai: conheça o gênero com algumas obras marcantes

©White Fox/Satoshi Wagahara
Introdução

Isekai é uma palavra japonesa que significa “outro mundo” em tradução livre. O termo nomeia as obras em que um protagonista humano é transportado ou reencarna em um mundo diferente do seu.

Obras que trazem em suas narrativas mundos paralelos sempre estiveram por aí, desde a literatura mais antiga até o cinema. E, de alguns anos para cá, obras desse estilo se popularizaram bastante, e se tornaram praticamente um gênero independente. Por conta desse aumento na popularidade, várias obras atuais vêm tentando replicar a fórmula do sucesso. Entretanto, várias delas falham em criar um espaço e originalidade só seus.

Pensando nesse mar de conteúdo, trouxemos hoje alguns ótimos títulos para que você conheça algumas jóias desse subgênero da fantasia.

No Game No Life
©Madhouse/Yuu Kamiya

No Game No Life já foi bastante popular e ainda chama a atenção quando falamos de “Isekai”. Para quem está chegando agora no mundo dos “isekais”, a obra é um bom começo.

A história acompanha os irmãos Sora e Shiro que são viciados em jogos de todos os tipos. Os irmãos são considerados gênios no que fazem, mas têm pavor do mundo externo e só conversam entre si.

Certo dia, recebem uma solicitação para jogar xadrez com alguém que não conhecem. Ao vencerem, seu adversário se revela ser o deus de um mundo fantasioso alternativo. Assim, o deus buscando testar suas habilidades e ver se são dignos de desafiá-lo de novo, envia a dupla de irmãos para o seu mundo.

O anime é uma adaptação de uma light novel de mesmo nome, criada e ilustrada pelo meio-brasileiro Yuu Kamiya, contando com uma animação excelente, que permanece consistente do início ao fim. Além disso, vemos também nos momentos de maior ápice, ótimos momentos de “sakuga”.

Além disso, a dupla de diretores Atsuko Ishizuka (diretora de Sora Yori mo Toi Basho) e Shuuhei Yabuta (diretor de Inuyashiki) fazem um trabalho fenomenal em entregar todas as caras e bocas do anime. Vemos isso principalmente nos momentos cômicos que intercalam com os momentos sérios, normalmente nos jogos disputados pelos irmãos.

No Game No Life é uma obra para você que quer um anime muitíssimo divertido mas sem muito pretensão de seriedade, com boa animação e talvez uma ou outra pitada de ecchi para temperar.

Enfim, uma narrativa despretensiosa que, mesmo sendo bem inteligente com seus jogos, não tenta se levar a sério seu “setting”, um mundo de fantasia mais original do que o padrão atual de isekais, e nem nos absurdos dos irmãos, dois gênios que não podem perder.

Hataraku Maou-sama
©White Fox/Satoshi Wagahara

Uma obra (quase) clássica que marcou muitas pessoas foi Hataraku Maou-sama, um anime de 2013 que permaneceu famoso por vários anos como um grande anime de comédia. Tendo se consolidado bem antes de “isekai” ser estabelecido como subgênero.

A obra é adaptação de uma light novel pelo estúdio White Fox, dirigido por Naoto Hosoda (diretor de Mirai Nikki).

A história criada por Satoshi Wagahara segue um Rei Demônio (Maou) de um mundo de fantasia paralelo ao mundo real. Após alguns eventos inesperados, acaba sendo transportado para o “nosso” mundo, perdendo seus poderes e sendo forçado a arranjar um emprego em um fast food. Assim, é construída uma história hilária que não tem medo de ser uma chacota dos arquétipos de JRPG antigos.

Além disso, o anime é uma excelente adaptação de seu original, mantendo uma ótima consistência, além de arrancar risos com suas piadas que trazem referências a RPGs e outros animes da época.

Assim, se você busca um isekai diferentão e tão engraçado ou mais que KonoSuba, Hataraku Maou-sama é uma ótima pedida.

Drifters
©Hoods Drifters Studio/Kouta Hirano

Provavelmente o título mais diferente da lista, Drifters é uma adaptação de um mangá de mesmo nome, escrito pelo mestre das obras mais sanguinolentas Kouta Hirano, mesmo autor de Hellsing.

A história de Drifters é bem similar a de Fate em certo ponto. Figuras históricas que, ao chegarem a beira da morte, são transportadas a um mundo fantasioso por uma entidade desconhecida.

Na história, acompanhamos, inicialmente, o trio: Nobunaga Oda, o quase unificador do Japão; Toyohisa Shimazu, grande samurai da batalha de Kyushu; e, Yoichi Suketaka Nasu, guerreiro narrado em Heike Monogatari. Juntos, travam batalhas contra outras figuras históricas pelo domínio daquele mundo.

Tanto o anime quanto o mangá são bastante divertidos, utilizando muito bem dos elementos que compõem  a obra, como por exemplo a violência, para a construção da ambientação. Coisas que Hirano sempre soube fazer.

Além disso, o diretor do anime, Kenichi Suzuki, também diretor de Hataraku Saibou, consegue manter muito bem o teor do anime, sabendo fazer todo o humor pastelão intercalado com as tomadas mais sérias de batalha.

Vemos então que, Drifters é um isekai que foge dos clichês atuais do gênero, contemplando também, figuras históricas conhecidas numa roupagem de Kouta Hirano. Uma obra perfeita para uma diversão rápida e descompromissada.

Isekai Shokudo
©Silver Link/Masato Jinbo

Por fim, um título inesperado, mas que eu pelo menos achei uma experiência muito gostosa de se ter, foi o anime Isekai Shokudou, um anime sobre um restaurante para várias criaturas mágicas.

Na história, acompanhamos o “Mestre”, chefe do restaurante Nekoya em Tóquio, um lugar bem famoso pela sua comida. O restaurante funciona durante toda a semana, oferecendo de comidas japonesas a ocidentais. Entretanto, nos sábados, o restaurante possui uma característica especial: suas portas se abrem em outros mundos, recebendo clientes de diferentes raças. Dragões, elfos, anões ou princesas, todos são bem vindos.

Pode parecer estranho, mas Isekai Shokudou é um anime muito gostoso de assistir. Temos todo aquele ritmo de slice of life, as explorações dos mundos de fantasia, além de, claro, todo o fanservice com comida ser maravilhoso. Uma dica, não veja a obra com a barriga vazia.

A direção soube usar da animação que não é tão absurda assim, mesmo o Silver Link sendo um estúdio sempre consistente, nos fazendo entrar de cabeça naquele universo.

Assim como outros dessa lista, se você curte slice of life e comida boa na tela, Isekai Shokudou é um excelente pedido pro seu cardápio do gênero, dando momentos ótimos para que você apenas relaxe e curta os personagens.

Veja mais recomendações!
Visite os nossos parceiros! Nerd Sem ÓculosAnimeverso e Blog LD.

Posts relacionados

My Hero Academia: personagens que merecem mais destaque parte 2

Wilson

Paradise Kiss: uma história de amor e amadurecimento

Wilson

Kimetsu no Yaiba: conheça mais sobre as técnicas de respiração

Ingrid Raisa
error: O conteúdo está protegido !!