Análises Editorial

Meu Amigo Totoro: os laços entre Totoro e as irmãs Mei e Satsuki

©Studio Ghibli/Hayao Miyazaki

Os longa-metragens do Studio Ghibli estão entre os mais aclamados da história da animação e moram no coração dos entusiastas de anime e de cinema. Entre todos os títulos, é quase impossível dizer qual é o melhor, mas certamente Meu Amigo Totoro (Tonari no Totoro) está entre os mais marcantes.

A misteriosa criatura grande e peluda entrou no imaginário popular mundial e é tão reconhecível que se tornou o mascote do estúdio. Neste post, iremos falar da relação de Totoro com as irmãs Mei e Satsuki, que é central para esse clássico do cinema.

Como as irmãs conhecem Totoro
©Studio Ghibli/Hayao Miyazaki

A história se passa no Japão dos anos 50. Tatsuo Kusakabe é um professor universitário que se muda para o campo com suas duas filhas, Satsuki e Mei, para que elas possam ficar mais perto de sua mãe, que está hospitalizada devido a uma doença.

Um dia, enquanto brinca no quintal, a pequena Mei encontra uma pequena criatura quase transparente e parecida com um coelho. Ela segue o bichinho floresta adentro e acaba encontrando a toca de um bicho maior: Totoro, o espírito místico da floresta.

Dias depois, em uma noite chuvosa, Satsuki e Mei esperam por seu pai no ponto de ônibus, mas ele está atrasado. É nesse momento que Satsuki conhece Totoro, que aparece para fazê-las companhia. E quando Totoro vai embora, o ônibus de seu pai aparece.

O conforto em meio ao medo
©Studio Ghibli/Hayao Miyazaki

Totoro surge na vida das irmãs Kusakabe em um momento delicado da vida das duas. Um momento em que a mãe delas está há bastante tempo hospitalizada.

Apesar de Mei e Satsuki serem crianças alegres e otimistas, a possibilidade de perderem a mãe existe e elas têm consciência disso. É especialmente difícil para Satsuki, que por ser mais velha precisa assumir novas responsabilidades sem a mãe por perto e se manter firme para Mei.

Nunca fica claro se Totoro é real ou fruto da imaginação das meninas, mas isso não é importante. O que importa é que, real ou não, Totoro é um amigo que ajuda a suavizar momentos difíceis da vida das duas. Existem vários momentos no filme que deixam isso bem nítido, mas aqui eu irei destacar dois.

Momentos marcantes
©Studio Ghibli/Hayao Miyazaki

O primeiro é a icônica cena em que Satsuki conhece Totoro no ponto de ônibus. Ela está com Mei esperando o pai e passam vários veículos, mas ele não chega. Mesmo sem qualquer diálogo, é possível ver em Satsuki o medo da possibilidade de viver sem o pai.

Quando Totoro chega, o clima fica mais leve e até cômico, a sensação de solidão desaparece e isso chega a ser demonstrado visualmente com Totoro dando um pulo tão forte que faz a chuva acabar.

E o outro momento é ao final, quando Mei desaparece tentando ir ver a mãe no hospital. Nesse momento, Satsuki está em desespero por não encontrar a irmã, mesmo com todo o vilarejo à procura dela. Mas quando ela pede socorro a Totoro, não só ele a ajuda com um largo sorriso no rosto como faz isso de maneira mágica, com a ajuda do gato-ônibus.

E foi sendo essa figura simpática e amigável que Totoro conquistou não só as pequenas irmãs, mas todos os espectadores que tiveram a chance de prestigiar essa obra-prima de Hayao Miyazaki.

Enfim, para quem ainda não fez isso, Meu Amigo Totoro está disponível pela Netflix.

Veja mais recomendações

Visite os nossos parceiros! Nerd Sem Óculos, Animeverso e Blog LD

Posts relacionados

Análise: Horimiya

Christian Alves

Bleach: conheça mais sobre Rukia Kuchiki

Bruno Valentim

Por que a Saga Buu é a melhor de Dragon Ball Z?

Wilson
error: O conteúdo está protegido !!