Blog Editorial

Paradise Kiss: uma história de amor e amadurecimento

©Zipper/Ai Yazawa

Ai Yazawa é uma das autoras mais aclamadas do universo shoujosei, em grande parte por conta do sucesso de Nana, que foi um fenômeno nos anos 2000.

Recentemente, a editora Panini republicou um outro mangá de sucesso da autora: Paradise Kiss.

Neste post, vamos falar um pouco sobre essa obra capaz de despertar as mais diversas emoções em seus leitores.

A história
©Zipper/Ai Yazawa

Paradise Kiss conta a história de Yukari Hayasaka, uma típica estudante de Ensino Médio. Como aluna do último ano, a vida de Yukari passou a se limitar somente aos estudos para o vestibular, até que um belo dia ela esbarra com Arashi e Isabella.

Arashi e Isabella são estudantes em uma escola de moda e fazem parte de uma equipe chamada “Paradise Kiss”. Além disso, também fazem parte desse grupo a meiga Miwako Sakurada e o misterioso líder Jouji “George” Koizumi.

Os quatro convidam Yukari para ser sua modelo em um importante evento escolar e, com muita relutância, ela acaba aceitando a proposta.

O que Yukari não imaginava é que a convivência com esse grupo de pessoas iria mudá-la profundamente e fazê-la questionar várias certezas que ela tinha em sua antes pacata vida.

O amadurecimento de Yukari
©Madhouse/Ai Yazawa

Um dos aspectos mais interessantes do mangá é acompanhar o crescimento da protagonista. Yukari começa como uma estudante insegura e termina como uma modelo confiante.

Em diversos momentos, Yukari enfrenta dilemas entre o que ela quer fazer e o que ela precisa fazer. Isso acontece tanto no âmbito profissional, familiar e amoroso. Assim, para qualquer que seja a sua escolha, ela precisa arcar com suas consequências, afinal na vida nada tem uma resposta fácil.

Além disso, Yukari é bastante influenciada pelas pessoas a sua volta. Em um primeiro momento, ela pensa que a solução é fazer o que tiver vontade sem se importar com o que os outros pensem mas, com o tempo, fica claro que não é tão simples assim.

A mensagem que Paradise Kiss transmite – e que a heroína precisa aprender – é que todas as nossas relações, muito ou pouco, exercem uma influência sobre nós e isso não é um problema: o desafio está em aprender a filtrá-las de uma maneira que elas não anulem a nossa autonomia.

Yukari e George
©Zipper/Ai Yazawa

Paradise Kiss é, assim como Nana, uma obra sobre relações: amorosas, familiares, de amizade e até mesmo de trabalho. Mas diferentemente de Nana e seus vários triângulos amorosos, ParaKiss é focado quase inteiramente em um: Yukari e George.

Os dois são o tipo de casal que já vimos várias vezes em obras shoujo: a colegial pacata e de baixa autoestima e o rapaz sedutor de poucas palavras. Mas, como é típico nas obras da autora, Ai Yazawa tem uma abordagem mais realista desses dois arquétipos e logo o leitor percebe que essa combinação pode não funcionar.

Em Paradise Kiss não existe vilão. A fonte de todos os conflitos na relação de Yukari e George se encontra neles mesmos. Os dois são imaturos de maneiras diferentes e cometem erros que prejudicam seu relacionamento.

Yukari cria uma forte dependência emocional de George e, mesmo tendo uma certa consciência disso, toma várias decisões levadas pela emoção. Já George verbaliza pouco o que sente e acaba negligenciando as necessidades de afeto da namorada.

Assim, durante sua leitura, o leitor se vê torcendo pelo casal e se frustrando com os dois na mesma intensidade, como se acompanhasse as várias etapas de um relacionamento real.

Considerações finais
©Madhouse/Ai Yazawa

Além da história excelente, a arte de Ai Yazawa é de encher os olhos, com especial destaque para o figurino dos personagens, o que faz dele um mangá obrigatório para quem é fã de moda.

A série também foi adaptada para anime em 2005, antes de Nana, contando com apenas 12 episódios. Por conta do número pequeno de episódios, o ritmo do anime é mais acelerado e existem algumas mudanças na narrativa, mas ainda assim vale a pena por conta da ótima direção.

Paradise Kiss é uma obra que transcende demografias e gêneros, tendo romance, drama, comédia e personagens cativantes. Em 5 volumes, o mangá consegue abordar diversos temas de maneira profunda.

Veja mais recomendações.

Visite os nossos parceiros! Nerd Sem Óculos, Animeverso e Blog LD

Posts relacionados

Conheça Sora e Shiro: protagonistas de No Game No Life

Bruno Valentim

Witch Watch: conheça mais sobre a obra

Marcelo Almeida

Monogatari Series: conheça mais sobre Koyomi Araragi

Marcelo Almeida
error: O conteúdo está protegido !!