Blog Editorial

Witch Watch: conheça mais sobre a obra

©Shinohara Kenta/Weekly Shounen JUMP

Trazendo mais uma recomendação/primeiras impressões, o mangá que escolhi dessa vez foi Witch Watch, já que a obra me ganhou bastante pelo carisma.

Vale lembrar, no entanto, que o mangá tem seus probleminhas, principalmente para quem gosta de cobrar certos aspectos mais técnicos das obras que lê.

De qualquer forma, ainda é um mangá que acho que vale bastante a pena, trazendo uma comédia divertida e interessante de acompanhar.

As bruxas e ogros

A história de Witch Watch acompanha Morihito, um jovem que vem de uma linhagem de ogros. Certo dia ele recebe a noticia de que irá se tornar o familiar de Nico, uma aprendiz de bruxa e sua amiga de infância.

Por mais que esteja meio relutante, Morihito aceita o pedido já que uma profecia obscura revelou que Nico corre perigo, e o único capaz de mantê-la segura é ele.

A partir de então, os dois passam a morar juntos. Aqui, vemos novos amigos e aliados começarem a se juntar para tentar evitar a profecia que coloca Nico em perigo.

Comédia na média certa

Por mais que tenha uma sinopse bem propensa a ação e aventura, Witch Watch segue uma linha mais focada na comédia e no slice of life (vida cotidiana).

Boa parte da obra se foca em mostrar as magias da Nico e como isso acaba levando a situações completamente malucas.

É difícil chegar ao ponto de eu rir com mangás de comédia (dublagem pesa bastante nesse ponto), mas a obra conseguiu esse feito comigo.

Tiveram diversos capítulos que eu dei risada por conta das reações e situações que o autor cria.

Os feitiços da Nico dão sempre errado e isso gera coisa absurdas, como por exemplo ela se dividindo em duas para agilizar o trabalho. Durante essa situação, acaba precisando das suas cópias para ajudar a carregar uma simples caixa, já que a magia dividia sua força também.

São situações bem bobinhas, mas que são muito bem feitas pelo autor para tirar um bom proveito do tema de bruxa/magia e manter o mangá sempre divertido.

©Shinohara Kenta/Weekly Shounen JUMP
Ação quando necessário

Por mais que o foco da obra não seja em lutas e superar inimigos, esse tipo de coisa não deixar de ser usado.

Existem alguns confrontos interessantes que movimentam a obra na direção do problema levantado lá na sinopse.

Existe uma profecia que coloca a vida da Nico em perigo, e isso é relembrado durante os capítulos através desse momento, onde vez ou outra o Morihito precisa usar das suas habilidades de ogro para combater algum problema.

Elenco de qualidade

Quando se fala no elenco da obra, uma coisa bem curiosa precisa ser apontada.

Como se trata de um mangá shounen, o normal seria que novas garotas fossem sendo adicionadas ao famoso harém do protagonista, mas não é o caso aqui.

Por mais que uma nova garota apareça, a maioria dos aliados que se junta ao grupo são garotos, quebrando bastante desse padrão.

O legal é que o autor mantém um equilibro nisso, não fazendo os novos aliados se tornarem concorrentes do Morihito, mas sim se tornarem apoio para Nico, já que ela abertamente diz que gosta dele.

De início pode até parecer que esses novos garotos vão se tornar rivais para o romance principal, mas com o tempo eles acabam ajudando a Nico a se aproximar do Morihito.

Além disso, o carisma dos personagens é muito bom, com cada um tendo uma peculiaridade que é aproveitada nos momentos de comédia.

A Nico é desastrada e cabeça de vento, mas adora viajar em fantasias com o Morihito e também ama coisas relacionada ao amor.

O Morihito tem o jeito frio e sério, mas também traz ótimas reações para as maluquices da Nico, equilibrando os dois pontos bem.

©Shinohara Kenta/Weekly Shounen JUMP
Romance do jeito certo

Falando no casal, o romance da obra é bem calmo. A Nico desde o início diz que ama o Morihito, mas não se declara, e o Morihito diz se importar com a Nico, mas não sente nada por ela.

Isso não evoluí muito, mas não deixa de funcionar, já que a Nico carrega as coisas nas costas e faz você ficar sempre torcendo para alguma coisa acontecer entre os dois e o Morihito perceber as indiretas.

O autor parece não ter muito interesse em criar aqueles triângulos amorosos, então o rumo do romance parece bem estabelecido, com algumas mudanças acontecendo aos poucos.

Mas e os problemas?

Como disse no começo, o mangá tem seu problemas, especialmente se você for uma pessoa mais crítica.

O que mais senti foi a quantidade desnecessária de texto que o autor coloca em certos capítulos.

Quando precisa mostrar a personalidade de algum personagem, ele acaba caindo naquela “overdose” de informação.

Basicamente acontece mais de uma vez você ver uma muralha de texto com os personagens delirando nas suas obsessões, tipo a professora otaku falando de várias coisas sobre seu gosto.

O triste é que esses textos são completamente irrelevantes, com você podendo pular eles sem problemas e seguir para a parte que importa da história, já que tudo que o personagem falou ali vai ou ser mostrado depois ou já havia sido falado antes.

Considerações finais

Witch Watch é um mangá bem divertido e interessante de ler. Ele consegue manter um bom uso da comédia e do slice of life, mas sem abandonar o lado da ação e até mesmo drama em certos capítulos.

Os personagens são de longe a melhor coisa da obra, sendo possível criar empatia por eles logo nos primeiros capítulos.

Para quem gosta de obras mais tranquilas e focadas na comédia, vale a pena dar uma chance.

Descubra mais recomendações de nossa equipe.
Visite os nossos parceiros! Nerd Sem ÓculosAnimeverso e Blog LD

Posts relacionados

Bleach: as Bankai mais esperadas da nova temporada

Bruno Valentim

Dandadan: conheça mais sobre o peculiar mangá

Marcelo Almeida

Fire Force: um pouco sobre Shinra Kusakabe

Matheus Boruto
error: O conteúdo está protegido !!